O NOSSO TOP 6 DOS DESFILES NO DRAGÃO FESTIVAL BRASIL
13 Junho 2018
Ver todas as notícias
O NOSSO TOP 6 DOS DESFILES NO DRAGÃO FESTIVAL BRASIL
Foram quatro dias intensos em Fortaleza, naquele que é um dos maiores festivais de moda em todo o Brasil e o maior de moda autoral em todo o país. O Dragão Fashion Brasil apresentou, nesta edição, 38 desfiles, assim como uma recheada agenda paralela em que se incluíam concertos, palestras e workshops.

Os looks de verão e os tons quentes moraram em quase todos os desfiles, fazendo parelha com o clima tropical brasileiro, que não atrai as malhas, os tecidos pesados ou as roupas quentes. Conheça o nosso top 6 dos desfiles a que assistimos em Fortaleza:

Lindebergue diz não à ditadura da beleza
O desfile de Lindebergue não vale pelas roupas apresentadas, mas sim pela mensagem que se subentende. Com peças maioritariamente em plástico – tentando transmitir a "plasticidade” que se vive no mundo da moda – o desfile foi feito por modelos que fogem do típico estereótipo de magra/bonita/definida. "As Travestidas”, um conjunto de artistas transgénero e travesti, envergaram orgulhosamente as peças do estilista brasileiro, que mostrou que não há tamanho, forma ou género para se estar na moda e que todos se devem sentir orgulhosos na sua pele. Ou, como estampa em algumas das suas peças, ter acima de tudo "amor próprio” para oferecer.



Almerinda Maria: um mix entre a tradição e o atual
Não há como não ver a elegância das peças de Almerinda Maria, que mistura as tradicionais rendas com a imagem de uma mulher leve e confiante, conforme se quer atualmente. A paleta de cores pastel transmitiu uma serenidade que combinou na perfeição com a bossa nova que se ouvia como música de fundo durante o desfile. A capacidade de misturar os diferentes desenhos na renda e os vários tecidos em tons acetinados, assim como proporcionar diferentes volumetrias e desenhos, fez com que este fosse um dos nossos desfiles de eleição.



Weider Silveiro e o poder dos padrões
Num desfile totalmente no feminino, Weider Silveiro provou que o mito de não se poderem misturar padrões não passa, de facto, de um mito. As bolas, as riscas e as flores misturaram-se na perfeição, tal como os ovos, a farinha e o açúcar se misturam num bolo, fazendo desta coleção do brasileiro um mix perfeito e atual, muito ao estilo das grandes marcas internacionais. "Ri’speckt” foi a palavra que deu o mote (e, em alguns casos, o nome) a estas peças, numa celebração do ser feminino.



Iury Costa: cor e espaço para tudo um pouco
Sérvulo Esmeraldo, reconhecido artista brasileiro, foi a inspiração de Iury Costa para a coleção que apresentou no Dragão Fashion Brasil. Num desfile misto (em todos os aspetos), viram-se propostas para homem e mulher, gangas, tecidos e malhas, peças fluídas e formas rígidas, lisos e estampados, looks mais arrojados e outros mais tradicionais. Tudo sem nunca perder a coerência, dada pelo bom gosto do estilista, pela cadência do desfile e pelos acessórios marcantes, que deram vida e uma linha condutora a todo o espetáculo.



Tanden veste a mulher todos os dias
Cor. É talvez esta a palavra que melhor descreve o desfile de Tanden, que desmistifica a antiga tendência do pandam. A mistura arrojada de cores, a sofisticação e a elegância fazem desta uma coleção eclética, pronta a ser usada por mulheres confiantes. Com peças mais formais e outras para o dia-a-dia, que têm sempre em comum uma linha muito feminina, esta coleção é eclética também no seu estilo, permitindo a uma mulher vestir-se de segunda a domingo, para o trabalho, para o jantar ou para uma festa mais especial.



Jefferson Ribeiro relembra a Bahia
Foi a Bahia, a terra natal de Jefferson Ribeiro, assim como as suas festas típicas e as cores das suas casas, que deram o mote à nova coleção do criador. Fugindo do tradicional preto e branco que normalmente pintam as suas peças, a passarela foi inundada por estampados coloridos que remetiam para a Festa de Largo, uma comemoração popular dos anos 80 na Bahia. As diferentes volumetrias e os chapéus arredondados lembram os trajes típicos das baianas, numa autêntica viagem no tempo e no território brasileiro.



Esta foi a quarta vez que o Dragão Fashion Brasil tomou conta do Terminal Marítimo de Passageiros do Porto de Fortaleza, embora este  já exista desde 1999. Criado por Claudio Silveira, o principal objetivo do evento – que tem vindo a crescer de ano para ano – é servir de plataforma de lançamento para novos estilistas e marcas. Ao longo do tempo, assumiu também uma visão mais ampla da moda e do lifestyle, incluindo a cultura e a gastronomia na sua programação.
O Portal de Moda foi até ao Dragão Fashion Brasil a convite da Texbrasil.
Topo

Comentários (0)

Faça login para efectuar um comentário

Não possui comentários. Envie o Seu !